fbpx
Blog Cultura Cristã

Deus é bom… o tempo todo

A história do Bom Pastor – texto base: Salmo 23

INTRODUÇÃO

A bondade faz parte da essência do Criador e Sustentador do universo. Mas como podemos entendê-la? Como ela se manifesta na vida humana? A narrativa do salmo 23 nos ajudará a compreender melhor a bondade do Senhor.

I. Deus é bom e pratica o bem

Deus é bom e faz o bem (Sl 119.68a). Ele é bom em relação a si mesmo e é bom em relação a nós. Primeiro, Deus é bom em si mesmo. É da própria natureza e essência de Deus ser bom. Mesmo se nunca tivesse feito nada, ele ainda seria o Deus infinita, absoluta e imutavelmente bom em si mesmo.

Deus revelado no salmo 23

Por meio de Cristo – o bom pastor – Deus nos supre com provisão e proteção em sua presença para sempre.

Deus também é infinitamente bom para nós, o que é uma segunda maneira de falar sobre sua bondade. Ele não apenas é bom, ele também faz o bem. Tudo o que Deus já fez é bom. Sua criação é boa. Sua lei é boa. Seus planos são bons. Seus caminhos são bons. Além disso, Deus faz todas essas coisas boas para nosso benefício (Is 63.7). Deus espalhou sua perfeita bondade por todo o universo (Sl 145.9).

Tudo o que é bom é obra de Deus. Foi isso que Jesus quis dizer quando afirmou que só Deus é bom (Mc 10.18). Há outras coisas boas, naturalmente, mas sua bondade provém de Deus. Só ele é a origem e fonte de toda a bondade.

II. Um bom amigo

A narrativa do Bom Pastor nos ensina sobre a bondade de Deus. Diversas par­tes da história do Bom Pastor aparecem em lugares diferentes da Bíblia, mas o local adequado para se iniciar é o salmo 23, escrito por Davi, que também foi pastor. Davi enumera uma coisa boa após outra para mostrar que Deus é tudo o que uma ovelha poderia desejar em um pastor.

Primeiro, o Bom Pastor é um bom amigo.

O salmo principia com o nome que Deus revelou a Moisés: “Senhor”, ou “Yahweh”. Ele é o Grande Eu Sou. O fato admirável é que esse grande Deus é quem ele é em relacionamento comigo. “O Senhor é meu pastor” (v. 1). O grande Deus tornou-se meu amigo. O grande Eu Sou é meu Bom Pastor.

É impossível entender o salmo 23 sem reconhecer que Jesus é o Bom Pastor. Jesus disse aos seus discípulos: “Eu sou o bom pastor” (Jo 10.11a).

Uma das coisas que faz de Jesus o bom pastor é que ele conhece as suas ovelhas. E as suas ovelhas o conhecem. A diferen­ça entre um pastor e um estranho é que as ovelhas conhecem a voz do pastor (Jo 10.3-4). Todas as ovelhas no rebanho de Deus conhecem a voz de Jesus Cristo, o Bom Pastor.

Atualmente, todos estão procurando bons relacionamentos. Os idosos procuram amigos para cuidar deles. Os jovens procuram amigos que os aceitem. As pessoas casadas procuram amigos que não façam muitas exigências. As pessoas solteiras procuram amigos que se comprometam com elas. Todos buscam por alguns bons amigos. Se você realmente pode dizer “O Senhor é o meu pastor”, então você tem uma boa amizade com um Deus bondoso.

III. Boa comida e boa bebida

Dentre as muitas dádivas que Deus oferece aos seus amigos estão boa comida e boa bebida (Sl 23.1-2). O Bom Pastor é um bom provedor. Suas ovelhas não passam por privação porque nada lhes falta. Isso é significativo porque ovelhas não podem cuidar de si mesmas. Não que suas necessidades sejam complexas. As ovelhas não têm um apetite refinado. Mas há duas coisas que elas devem ter ─ grama verde e água fresca, especificamente águas tranquilas. Essas ovelhas não se limitam apenas a comer; elas comem os mais seletos bocados de grama. Elas não somente bebem, elas bebem de nascentes frescas no deserto rochoso.

Esse é o tipo de refrigério que as pessoas encontram em Jesus Cristo (Jo 6.35). É certo que ele falava espiritualmente. Jesus satisfaz a fome e sede desesperadas da alma humana. Se você é uma ovelha de Deus, não duvide da bondade do cuidado de Deus. Na sua bondade, Jesus sabe do que você necessita; por sua benevolência, ele suprirá todas as suas necessidades.

IV. Um bom descanso

Após serem bem alimentadas, as ovelhas gostam de se deitar para um bom descanso. Deitam-se em pastos verdejantes. As ovelhas não se deitarão até que quatro condições estejam preenchidas. Devem estar livres do medo de predadores; devem estar isentas de atrito com outras ovelhas; devem estar protegidas de moscas e outras pragas; e devem estar livres da fome. Somente então são capazes de repousar. Elas dependem do seu pastor para alimentá-las e mantê-las a salvo. Não descansarão se ele não fizer isso.

O mesmo acontece na vida espiritual. O único lugar onde encontramos descanso verdadeiro é nas pastagens de Deus. Nosso descanso depende de sua bonda­de. A alma de Davi estava em descanso na bondade de Deus (Sl 116.7). Ele era capaz de dizer “refrigera-me a alma” (Sl 23.3a). As almas, muitas vezes, precisam ser restauradas. Sentimo-nos vazios e desapontados. Ficamos sobrecarregados de tristeza e pesar. Ficamos cansados e desencorajados. Mas Deus é aquele que restaura a alma. Se pensarmos que não estamos em descanso é porque não esta­mos descansando na bondade de Deus. O bom descanso vem até nós por meio de Jesus Cristo (Mt 11.28-29).

As ovelhas, muitas vezes, neces­sitam ser resgatadas. Algumas vezes elas vagueiam em perigo. Às vezes, ficam presas. Somente o pastor pode resgatá-las. No sentido espiritual, ser restaurado é ser resgatado de uma vida de pecado. Esse também é o trabalho do Bom Pastor. Jesus é o tipo de pastor que sai à procura das ovelhas perdidas e as traz de volta para casa (Lc 15.3-7). O salmo 23 registra o testemunho da ovelha, depois de ser resgatada: “Ele restaura a minha alma”.

V. Boas direções

Um bom amigo. Boa comida e bebida. Um bom descanso. Que mais há de bom no Bom Pastor? Ele dá boas direções (Sl 23.3b).

Há uma grande diferença entre as boas direções e as ruins. Geralmente é a diferença entre estar perdido e chegar aonde você quer ir. O Bom Pastor conduz suas ovelhas para o lugar certo. Sua orientação é necessária, sem dúvida, porque as ovelhas tendem a vaguear mais do que qualquer outro tipo de gado. Se tiverem oportunidade, vão perambular sem rumo. Os seres humanos agem da mesma forma (Is 53.6a).

Isso explica por que tantas pessoas estão procurando por orientação e direção. As pessoas buscam o sentido e o significado da vida. O Bom Pastor promete boa orientação. A orientação que ele dá não nos diz o que fazer em toda e qualquer situação. Sua direção é muito mais útil do que isso. Ela ensina a diferença entre certo e errado. Pela sua palavra, o Bom Pastor ensina às suas ovelhas a diferença entre o caminho certo e o caminho errado.

VI. Um bom companheiro

Algumas vezes, até mesmo o caminho certo demonstra ser perigoso, por isso as ovelhas precisam que seu pastor fique com elas, como seu bom companheiro (Sl 23.4). Todas as ovelhas de Deus devem passar pela sombra escura da morte. Somos mortais, assim como as pessoas que amamos. A morte é nosso inimigo comum. Mesmo quando seguimos a liderança de Deus, enfrentamos a perda da vida.

No entanto, apesar de tudo, o Bom Pastor permanece com suas ovelhas. A proximidade de sua presença está enfatizada pela mudança de destinatário no versículo 4. Até agora, Davi descreveu Deus na terceira pessoa: ele me faz repousar, ele refrigera minha alma; ele me guia e assim por diante. Mas quando Davi passa pelo vale da sombra da morte, ele fala diretamente ao pastor: “Tu estás comigo.” Acima, no prado verde, havia conforto suficiente simplesmente ao se­guir o Bom Pastor. Mas, abaixo, no vale escuro da morte, uma ovelha necessita do seu pastor ao seu lado.

Mais cedo ou mais tarde, a morte lançará sua sombra no seu caminho. Mas, quando passar pelo vale da sombra da morte, você não caminhará sozinho. O Bom Pastor caminhará com você. E, com ele ao seu lado, você caminhará pelo vale no seu próprio passo. Não sentirá medo. Você atravessará o vale até o outro lado.

A menção à vara e ao cajado serve como lembrete de que a bondade de Deus inclui boa disciplina. A vara é usada no cinto do pastor. Pode ser usada como um taco para defender as ovelhas de leões e lobos. O cajado é mantido na mão do pastor. Ele conserva as ovelhas no caminho certo e as ergue de volta para a segurança. Assim, a vara e o cajado são usados para muitas coisas boas que Davi já havia mencionado ─ proteção, direção e resgate.

Mas a vara e o cajado (especialmente a vara) também são usados para corrigir e disciplinar as ovelhas. A correção e repreensão são provas da bondade de Deus. Sua vara e seu cajado nos confortam, mostrando-nos que ele nos ama demais para nos deixar vagando por conta própria. O Bom Pastor diz: “Eu repreendo e disciplino a quantos amo” (Ap 3.19).

VII. Um bom final

Há quem entenda que o salmo 23 ter­mina com uma mudança de paisagem. As ovelhas são substituídas pelo mundo dos relacionamentos humanos, como parece sugerir a palavra adversários (Sl 23.5). No entanto, pode ser que Davi continue escrevendo sobre o ponto de vista das ovelhas. De fato, muitos pastores pensam que esse versículo se refere a ovelhas. Antes de um pastor levar seu rebanho para um campo novo, deve procurar plantas venenosas nele. Isso era especialmente verdadeiro quando as ovelhas mudavam para os platôs ou planaltos no verão.

O óleo da unção e o cálice transbordante também são parte da experiência com ovelhas. Antes de colocar as ovelhas no aprisco, ele tinha que verificar cada uma para ver se havia alguma ferida por espinho ou ressecamento causado pela poeira, e aplicar água e óleo, conforme o caso. Portanto, o salmo 23 termina no aprisco.

Conclusão

O lar é onde as ovelhas do Bom Pastor são acolhidas. Elas chegam a um bom final. Em verdes pastagens, ao lado de águas tranquilas, pelos caminhos certos e pelos vales escuros, o pastor conduz seu rebanho para casa. O salmo termina com a convicção de Davi de que ele iria morar na casa do Senhor “para todo o sempre”. Deus é bom o tempo todo e por todos os tempos. A bondade graciosa de Deus veio até nós por meio da morte de Jesus Cristo na cruz. Dentre todas as boas coisas que o Bom Pastor faz, seu sacrifício é a melhor de todas.

Aplicação

Visto que Deus tem sido bondoso para conosco, devemos ser bons para os outros. Devemos ser bons amigos. Devemos compartilhar nosso alimento e nossa bebida. Devemos dar bom descanso às pessoas. Devemos dar-lhes boas direções sobre a Palavra de Deus. Devemos caminhar com elas pelo vale da sombra da morte. Devemos fazer todas essas coisas porque Deus nos demonstrou sua bondade em Jesus Cristo.

Vagner Barbosa

Texto extraído da revista Palavra Viva nº 85 – Deus nas histórias da Bíblia, Editora Cultura Cristã.

Vagner Barbosa colabora com a Cultura Cristã como autor de lições para escola dominical, tradutor e revisor.

Siga-nos

Acompanhe nossos perfis oficiais!